Português Italian English Spanish

A dança dos técnicos no futebol brasileiro

A dança dos técnicos no futebol brasileiro

Data de Publicação: 10 de novembro de 2020 10:23:00

Bruno Rocha é Jornalista formado com passagens por jornais impressos e onlines de Campos e Macaé. Cobertura do futebol carioca, Campeonatos Brasileiros das Séries B e C, e outros eventos esportivos.

Twitter:@bruno_rroch

 


 

A dança dos técnicos no futebol brasileiro

Foto: Alexadre Vidal

A demissão do técnico Domènec Torrent pelo Flamengo após goleada sofrida de 4 a 0 para o Atlético Mineiro pelo Brasileirão mostra que a troca de treinadores no futebol brasileiro ainda é uma doença crônica. A terceira posição na competição nacional, as oitavas da Libertadores e as quartas da Copa do Brasil não foram suficientes para manter o catalão no comando do time Rubro-Negro.

As críticas sobre a atuação do sistema defensivo - foram três goleadas quase na sequência, 5 x 0 para o Del Valle, 4 a 1 para o São Paulo e 4 a 0 para o Galo - deixaram as feridas expostas e comprovaram que o resultado ainda pesa sobre o rendimento, mesmo em um time que vem de um trabalho elogiado no ano anterior.

Desde a saída de Jorge Jesus no começo do ano o time não reproduziu o mesmo futebol que culminou em títulos e atuações memoráveis. A conquista da Taça Libertadores depois de 38 anos, o Brasileiro, o Carioca, a Recopa e Supercopa deram um valor ainda maior para o Mister.

Mas, vale ressaltar que ele quando chegou ao Fla pegou um time encaminhado e ainda pode contratar jogadores pontuais que elevaram o nível do elenco. Já Domè pegou o time depois que algumas peças de 2019 saíram e conviveu com desfalques por causa da Covid-19, convocações e lesões.

No entanto, essa doença vai além dos muros da Gávea.  Prova disso é que 14 treinadores já foram demitidos em 20 rodadas disputadas do Brasileirão Série A em 2020.

Eduardo Barroca (Coritiba), Ney Franco (Goiás),  Daniel Paulista (Sport), Dorival Júnior (Athletico-PR), Felipe Conceição (Red Bull Bragantino), Roger Machado (Bahia),  Tiago Nunes (Corinthians), Thiago Larghi (Goiás), Paulo Autuori (Botafogo), Ramon Menezes (Vasco), Vanderlei Luxemburgo (Palmeiras), Jorginho (Coritiba) e Bruno Lazaroni (Botafogo).

Logo após o anúncio da demissão de Domènec Torrent o Internacional divulgou que o técnico Eduardo Coudet pediu para sair do comando do Colarado, então líder do Brasileirão.

Já o Flamengo, horas depois de demitir Domè, anunciou que estava conversando com Rogério Ceni do Fortaleza, e o negócio foi concretizado nesta terça-feira (10). Ou seja, agora o Tricolor do Pici terá que buscar um novo treinador. Assim como Inter que deve fechar com o Abel Braga.

E segue a dança, ainda faltam 18 rodadas.